SARA SILVEIRA

Sara é atualmente uma das mais ativas produtoras de filmes no país. Em 1991 fundou a empresa produtora Dezenove Som e Imagens, junto ao cineasta Carlos Reichenbach, e desde então, administra em parceria com a também produtora Maria Ionescu.

Durante esses anos seus projetos acumularam muitas premiações. Alma Corsária / Bucaneer Soul (1994) e Bicho de Sete Cabeças / Brainstorm (2000) foram premiados com o Troféu Candango por Melhor Filme no Festival de Cinema em Brasília. Durval Discos / Durval Records ganhou o Kikito em Gramado de 2003. Cinema Aspirinas e Urubus / Cinema, Aspirins and Vultures ganhou o National Educational Prize no Festival de Cannes de 2005, o Un Certain Regard e também foi o Brazilian Official Entry para Melhor Filme de Língua Estrangeira no Oscar de 2007.

Ela já recebeu apoio através de parcerias internacionais em diversas produções e gosta de trabalhar com projetos de novos talentos. Como pode ser visto com Beto Brant (Matadores, Ação Entre Amigos), Laís Bodanzky (Bicho de Sete Cabeças), Anna Muylaert (Durval Discos, É Proibido Fumar), Marcelo Gomes (Cinemas, Aspirinas e Urubus), Monique Gardenberg (Ó Pai Ó), Insolação, por Daniela Thomas e Felipe Hirsch, Os Famosos e os Duendes da Morte, por Esmir Filho, e Ponto Org, por Patricia Moran.
Com seu parceiro e amigo Carlos Reichenbach, ela já produziu “Alma Corsária”, “Dois Córregos”, “Garotas do ABC”, “Bens Confiscados” e “Falsa Loura”.

Entre seus mais recentes filmes produzidos estão: “As Boas Maneiras”, de Juliana Rojas e Marco Dutra, vencedor do Leopardo de Prata, prêmio Especial do Júri, no 70º Festival de Locarno – Concorso Internazionale, entre outros; “Vazante”, de Daniela Thomas, selecionado pelo Festival de Berlim – Panorama Special 2017; “Pela Janela”, de Caroline Leone, selecionado pelo Festival de Rotterdam – secção Bright Future 2017, onde recebeu o prêmio da crítica FIPRESCI, e no festival Film Fest DC, onde foi premiado com o Circle Awards, prêmio da seleção especial do júri; “Mãe só há uma”, de Anna Muylaert, filme selecionado pelo 66º Festival de Berlim, na secção Panorama; “Os Amigos”, de Lina Chamie, filme selecionado a participar da competição oficial do 41º Festival de Gramado, além de sua seleção em outros vários festivais nacionais, incluindo o Festival do Rio em 2013; “Avanti Popolo”, contemplado no Festival de Roma de 2012 com o prêmio de Melhor Filme da Mostra CinemaXXI; “O que se move”, premiado como Melhor Filme na IV Semana dos Realizadores; “Trabalhar Cansa”, que participou da sessão Un Certain Regard do Festival de Cannes, “Girimunho, de Helvécio Marins Jr. e Clarissa Campolina, que atendeu ao 68º Festival de Veneza; “Os Famosos e os Duendes da Morte’, que participou no Festival de Locarno em 2009 e na Competição Oficial da Mostra Generation do Festival de Berlim.

Teve participação como jurada da seleção Carte Blanche do 67º Festival de Locarno, como presidente do júri da sessão Horizontes Latinos da 62ª edição do Festival de San Sebastian e fez parte da comissão de jurados da Convocatória do Premio Nacional de Largometrajes, da Cinemateca Distrital – Gerencia de Artes Audiovisuales del Programa Distrital de Estímulos de Bogotá em 2018 .

Seja um associado

Seja sócio da Academia Brasileira de Cinema e participe da votação e da cerimônia de premiação mais importante do Cinema Brasileiro.