Jom Tob Azulay

Jom Tob Azulay é cineasta e diplomata. Natural do Rio de Janeiro. Produtor de Um Homem e o Cinema de Alberto Cavalcanti (1975). Diretor e Produtor dos longas-metragens Os Doces Bárbaros (1978, selecionado entre os 100 Melhores Documentários Brasileiros, ABRACCINE), Corações a Mil (1983), O Judeu (Melhor Filme– Festival de Brasília 1995). Produtor-delegado de coproduções afro-ibero-americanas, como O Estorvo de Ruy Guerra (1998).
De 1999 a 2002, trabalha em televisões públicas (TVE e Multi-Rio) como diretor de programas e documentários, quando também leciona cinema na Universidade Estácio de Sá.
De 2002 a 2007, é Superintendente de Assuntos Estratégicos da Agência Nacional do Cinema – ANCINE, fazendo parte do grupo fundador da Agência sob a gestão de Gustavo Dahl.
Em 2007, dirige a série (14 DVDs) I Conferência Nacional de Política Internacional para a Fundação Alexandre de Gusmão do MRE.
Examinador da tese Filmar no Brasil: a atuação do Itamaraty para o Curso de Altos Estudos do Instituto Rio Branco do MRE.
Autor do capítulo Por uma Política Cultural para o Século 21em A Indústria Cinematográfica Mundial (Encontro Editorial – SP, 2004).
Em 2009, é produtor e diretor-geral da minissérie Cinco Vezes Machado, baseada em contos de Machado de Assis, coprodução Canal Brasil.
Atualmente dedica-se à produção de nova coprodução com Portugal, em coprodução com a GLOBOFILMES, intitulada Cartas Bahianas, baseada em cartas de família do primeiro quartel do sec. 19 tendo como pano de fundo as guerras da Independência do Brasil.

Seja um associado

Seja sócio da Academia Brasileira de Cinema e participe da votação e da cerimônia de premiação mais importante do Cinema Brasileiro.