JOÃO JARDIM

João Jardim (53) tem uma história criativa e multidisciplinar que o permite transitar por diversas áreas da produção audiovisual. Seu principal foco são filmes de longa metragem produzidos para as salas de cinema – filmes de ficção ou documentários, mas em sua trajetória vemos importantes realizações na área de televisão, suas obras já percorreram os principais festivais do mundo.

Iniciou sua trajetória de diretor co-dirigindo a minissérie de ficção ENGRAÇADINHA, baseada em Nelson Rodrigues, na TV Globo.

Seu primeiro filme de ficção, GETÚLIO, sobre os últimos 19 dias da vida do presidente Getúlio Vargas com Tony Ramos no papel principal, recebeu o prêmio de melhor ator da Academia Brasileira de Cinema e alcançou mais de 500 mil espectadores em salas de cinema.

Sua carreira no cinema teve início com o premiado documentário de longa-metragem JANELA DA ALMA, que através de depoimentos preciosos como os do escritor José Saramago, do cineasta Win Wenders e do neurologista Oliver Sacks, emocionou as pessoas e tornou-se a oitava bilheteria de 2002 entre os filmes nacionais. Outro destaque, é o filme LIXO EXTRAORDINÁRIO (Waste Land), onde foi co-diretor, indicado ao Oscar de melhor documentário e ganhador da Mostra Panorama do Festival de Berlin. O longa aborda o processo criativo do artista Vik Muniz e seu trabalho junto a catadores de lixo. O documentário participou de mais de 30 Festivais internacionais. João Jardim também dirigiu o longa-metragem PRO DIA NASCER FELIZ sobre a educação no Brasil, ajudando a pintar um quadro complexo das desigualdades e da violência no país a partir da realidade escolar. O filme foi ganhador de mais de 10 prêmios em diversos festivais. João Jardim, dirigiu também o longa-metragem AMOR?, sobre violência contra a mulher. No filme, atores como Lilia Cabral, Julia Lemmertz, Du Moscovis e Angelo Antonio, interpretam o depoimento de pessoas que viveram situações amorosas envolvendo violência.

Na televisão, seus últimos trabalhos ficaram entre os 10 melhores do ano, em 2016 e 2017, segundo o Jornal O Globo: São eles as séries documentais LIBERDADE DE GÊNERO, temporada 1 e 2, sobre a trajetória de transformação vivida por pessoas Trans, e a série AMORES LIVRES, sobre arranjos amorosos contemporâneos envolvendo mais de 2 pessoas, ambas para o canal GNT. Amores Livres recebeu o prêmio Telas de melhor direção. Jardim, foi por dois anos seguidos, finalista do Prêmio Emmy de televisão, com episódios da série biográfica, POR TODA MINHA VIDA, realizada paras TV Globo, sobre as cantoras Elis Regina e Nara Leão.

Também para TV em 2017, dirigiu a atriz Fernanda Montenegro e o ator Otávio Muller na série NELSON POR ELE MESMO, sobre Nelson Rodrigues.

Seja um associado

Seja sócio da Academia Brasileira de Cinema e participe da votação e da cerimônia de premiação mais importante do Cinema Brasileiro.