Elizabete Martins Campos

Elizabete Martins Campos nasceu em Minas Gerais (MG). Formada em Jornalismo pelo UNI/BH, estudou as disciplinas “Cinema Expandido” e “Montagem”, na UFMG. A partir de 1998, inicia seus primeiros contatos com a câmera de filmar, tendo realizado de forma artesanal,  experimental e independente seus primeiros trabalhos, onde roteirizou, dirigiu e produziu cinco filmes, entre eles, “Feira Hippie” (2004), “In e/ou Out” (2007) e  “My Name is Now, Elza Soares”,  sua estreia em longa-metragem.

Em 2009 funda a iT Filmes, Comunicação e Entretenimento, tendo participado de 23 Festivais, como o Festival do Rio/Premierè Brasil,  Festival Internacional de Cine Guadalajara – FIGC30/México (MX) e dos eventos, Indústria y Mercado -FICG30/ MX, Riomarket, ExpoMax – Indústria Audiovisual 360, MG, Fórum Audiovisual França-Brasil – Festival du Cinéma Brésilien de Paris, como diretora e produtora audiovisual.

Em 2017, dando continuidade às suas pesquisas sobre criação, produção, distribuição e exibição, cria o  projeto “Circulabit – Circuito Itinerante, Interativo, Laboratorial de Produção e Difusão do Audiovisual”, que tem como eixo cross a acessibilidade e impacto além da tela, por meio do circuito “Salas de Cinema”, “Labit – Laboratório de Criação”, “Prêmio Circulabit”, “LabAcessibilidade” e “Brasil Exibição Gratuita”.

Realiza, desde 2009, oficinas de audiovisual, em parceria com escolas e entidades de terceiro setor, tendo como resultados curtas-metragens feitos com participantes. Produziu a “Mostra Udigrudi Mundial de Animação – Mumia”, em Betim, MG, de 2009 a 2011, em parceria com a Leite Filmes.

Em TV, foi videoreporter, repórter, roteirista e produtora no programa Agenda/Rede Minas, onde realizou reportagens e séries, entrevistando de mestres do cinema brasileiro, como o cineasta Nelson Pereira dos Santos à jovens realizadores. Trabalhou como  roteirista, diretora e câmera no “Museu da Imagem e do Som – MIS” (antigo “Centro de Referência Audiovisual de Belo Horizonte– CRAV, de Belo Horizonte”).

Iniciou suas atividades junto à comunidade, ainda na infância, na década de 1980, acompanhando sua mãe, Maria Aparecida Campos, sócia da IT Filmes,  na criação da Creche Comunitária Sorriso de Uma Criança, em Betim, MG, onde foi educadora e  presidente voluntária, desenvolvendo projetos sociais e culturais.

Atualmente, dedica-se às pesquisas e desenvolvimento de novos projetos de longa-metragem, séries e jogos eletrônicos, em parceria com artistas e empresas do setor criativo.

Seja um associado

Seja sócio da Academia Brasileira de Cinema e participe da votação e da cerimônia de premiação mais importante do Cinema Brasileiro.