CARLOS DIEGUES

Nasceu em Maceió, Alagoas, em 19 de maio de 1940, e é um dos grandes nomes do cinema brasileiro de todos os tempos. No início dos anos 1960, foi um dos fundadores do movimento Cinema Novo ao lado de Glauber Rocha, Nelson Pereira dos Santos, Joaquim Pedro de Andrade, Paulo Cesar Saraceni, Leon Hirszman e outros. Nos anos 1970, inaugura um período de grande popularidade do cinema brasileiro, com seu filme “Xica da Silva”, ainda hoje um dos filmes mais cultuados desta cinematografia. No início dos anos 1980, realiza “Bye Bye Brasil”, um dos filmes brasileiros mais conhecidos e consagrados no mundo inteiro. Filmografia (longa-metragens) 1962 – Cinco vezes Favela (episódio) 1964 – Ganga Zumba 1966 – A Grande Cidade 1969 – Os Herdeiros 1972 – Quando o Carnaval Chegar 1974 – Joanna Francesa 1976 – Xica da Silva 1978 – Chuvas de Verão 1980 – Bye Bye Brasil 1984 – Quilombo 1987 – Um Trem para as Estrelas 1989 – Dias Melhores Virão 1993 – Veja Essa Canção 1996 – Tieta do Agreste 1999 – Orfeu 2003 – Deus é Brasileiro 2006 – O Maior Amor do Mundo 2007 – Nenhum Motivo Explica a Guerra 2012 – Vinte 2012 – Rio de Fé Produtor ou Produtor Associado: “Terra em Transe”, de Glauber Rocha (1967) “Capitu”, de Paulo César Saraceni (1968) “Prova de Fogo”, de Marco Altberg (1980) “5XFavela, agora por nós mesmos”, coletivo (20090 “Bróder”, de Jeferson De (2010) “Não se pode viver sem amor”, de Jorge Durán (2011) “5XPacificação”, coletivo (2012) “Giovanni Improtta”, de José Wilker (2013) Filmes e Séries para Televisão: “Séjour”, para Antenne Deux (França) (1970) “Les enfants de la peur”, Antenne Deux (1974) “Nossa Amazônia”, para Rede Bandeirantes (1985) “Mais vezes Favela”, para Multishow (2011) “Material Bruto” , para Canal Brasil (2012) Prêmios • Prêmio pelo Conjunto da Obra no Fest Aruanda em dezembro de 2010 • Prêmio Roberto Rossellini pelo Conjunto da Obra. Concedido pela Fundação Roberto Rosselini e a Associação Nacional dos Críticos Italianos de Cinema. Roma, 2008. • Prêmio “Vida y Trabajo” pelo conjunto da obra no Festival de Santa Cruz de la Sierra, Bolívia, 2007. • Troféu Gloria, Lifetime Achievement Award, Chicago (EUA), em 2005. • Troféu Eduardo Abelin pelo conjunto da obra, no Festival de Gramado, em 2003. • Golden Reel Award concedido pelo HBO Group, pelo conjunto da obra, em 2000. • Prix de la Celebration du Centenaire du Cinématographe, Institut Lumière, Lyon (França), em 1995. • Outstanding Achievement in the Art of Film, Denver (EUA), em 1990. Títulos e distinções • Conselheiro da Cinemateca Brasileira de 2010 a 2013. • Membro da Comissão de Honra da ABI – Associação Brasileira de Imprensa, 2008. • Curador da Mostra de Cinema dos Jogos Panamericanos, 2007 • Membro do Conselho Estadual de Cultura do Rio de Janeiro, 2007. • Patrono do Curso de Audiovisual da CUFA (Central Única das Favelas), Rio de Janeiro, em 2005. • Membro do Conselho Superior de Integração Social da Universidade Estácio de Sá, desde 2003. • Cavaleiro da Ordem do Mérito de Palmares, do Governo de Alagoas, em 2000. • Comendador da Ordem de Rio Branco, do Governo do Brasil, em 2000. • Medalha Pedro Ernesto da Câmara Municipal do Rio de Janeiro, em 1999. • Comendador da Ordem do Mérito Cultural, do Governo do Brasil, em 1998. • Officier de l’Ordre des Arts et des Lettres, concedida pelo Ministério da Cultura da França, em 1986. • Membro titular da Cinemateca Francesa, Paris (França), desde a década de 1970.  


Seja um associado

Seja sócio da Academia Brasileira de Cinema e participe da votação e da cerimônia de premiação mais importante do Cinema Brasileiro.